As lesões mais comuns nos joelhos dos corredores

O aparecimento das lesões mais comuns nos joelhos dos corredores, muitas vezes, é reflexo da falta de planejamento que marca a prática da modalidade para uma parcela significativa de brasileiros

Por Pedro Lopes

O aparecimento das lesões mais comuns nos joelhos dos corredores, muitas vezes, é reflexo da falta de planejamento que marca a prática da modalidade para uma parcela significativa de brasileiros. Estima-se que o Brasil tenha entre 5 e 6 milhões de corredores de rua – e a imensa maioria correr sem qualquer tipo de orientação. Por ser um esporte barato e de fácil acesso, muita gente “cai de paraquedas” na modalidade, sem preparação e informação necessárias.

Durante a corrida, o impacto contínuo sobre as articulações é até três vezes maior que o peso de uma pessoa. Alguém que pesa 110 quilos e migra de repente do sedentarismo para o asfalto pode colocar sobre joelhos e tornozelos pouco ou nada preparados uma carga comparável a uma bomba-relógio: cerca de 330 quilos. Por isso, pessoas principalmente acima do peso que partem para a corrida sem supervisão castigam suas articulações e estão mais suscetíveis aos contratempos físicos.

Condromalácia

Trata-se de uma alteração da cartilagem que reveste a patela por dentro. Quando há uma sobrecarga ou trauma, a patela pode ser afetada, já que é o meio caminho entre o tendão patelar, que está abaixo, e o tendão quadriciptal. Pode ser classificada por graus, em que o 1 representa apenas um amolecimento, sem alterações graves na cartilagem, e o 4, em que a cartilagem já foi embora e o osso já aparece.

Causas:

  • Trauma por fricção crônica de força excessiva aplicada ao joelho
  • Evolução agressiva dos treinos e insistência em atividades com dor
  • Desalinhamento na patela e pronação acentuada dos pés

Sintomas:

  • Dores acentuadas à frente ou ao redor da região do joelho ao correr, subir e descer escadas e agachar
  • Estalos ao esticar ou flexionar os joelhos

Tendinite Patelar

Toda tendinite é uma inflamação de um tendão. Mais comum entre os homens, a tendinite patelar é o resultado de movimentos repetitivos, excesso de treinos ou da falta de alongamento. Sobrepõe os limites de elasticidade e resistência do tendão do joelho. Inicialmente, a dor ocorre após a corrida. Se a lesão não for tratada, os incômodos surgem durante o exercício e até em atividades cotidianas.

Causas:

  • Excesso de uso e esforço repetitivo
  • Fraqueza na musculatura da perna
  • Falta de alongamento
  • Erros posturais

Sintomas:

  • Dor ao subir e descer as escadas
  • Dor ao usar salto alto
  • Dor no início da prática esportiva

Síndrome Iliotibial

Pesadelo constante na vida dos corredores, a síndrome iliotibial é popularmente conhecida como dor na lateral do joelho, mas não pode ser confundida com a tendinite patelar. Uma inflamação do tecido conectivo entre a área que se estende do quadril às proximidades do joelho e a região do fêmur provoca, inicialmente, um incômodo ao pisar. Depois, pode fazê-lo rodar menos e com isso interromper seus treinos.

Causas:

  • Falta de força nos abdutores do quadril
  • Aumento não planejado do volume de treinos
  • Encurtamento muscular
  • Desalinhamento nos joelhos, nos tornozelos ou entre passadas

Sintomas:

  • Incômodo ao apalpar o lado de fora do joelho
  • Dificuldade para correr em descidas
  • Dor no joelho ao pisar
  • Incômodo durante o aquecimento

Tendinite da “Pata de ganso”

Pela semelhança com o membro da ave, o conjunto dos três tendões da tíbia proximal (sartório, grácil e semitendinoso) foi apelidado de “pata de ganso”. Uma hipersolicitação na região tensiona a “pata de ganso” e gera uma inflamação local. Também é consequência do excesso de treinos. Causas e sintomas são os mesmos que da tendinite patelar

Fonte: Ativo.com

Anúncios

Sobre Prof. Leud

Leudenei Sganzerla – (Prof. Leud) CREF: 081722-G/SP Profissional registrado no Conselho Federal de Educação Física (CONFEF) e no Conselho Regional de Educação Física (CREF). Graduado em Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade do Oeste Paulista – UNOESTE, Presidente Prudente - SP. Pós-graduado em Treinamento Personalizado e Musculação pela Universidade Norte do Paraná - UNOPAR, Londrina - PR. Possui Certificação Internacional Oficial TRX Suspension Training (Treinamento em Suspensão), Certificação Core 360° - Treinamento Funcional e diversos cursos de capacitação como: Prescrição e Orientação de Exercícios na Saúde, na Doença e no Envelhecimento, Atividade Física e Saúde, Envelhecimento e Atividade Física, Atividade Física e Saúde, entre outros. Natural de Presidente Prudente, interior de São Paulo, onde reside e trabalha atualmente. Como Personal Trainer, tem atuado com os mais variados públicos, dentre estes, indivíduos que requerem cuidados específicos, como cardiopatas, obesos, diabéticos, pessoas com problemas na coluna e síndrome metabólica.
Esse post foi publicado em Saúde e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s