Suplementação de Proteína?

A grande maioria dos indivíduos que aderem a programas regulares de exercícios com pesos têm grande preocupação estética que se resume ao aumento da força e massa musculares à custa do treinamento associado à suplementação.

O objetivo deste trabalho foi verificar se a ingestão de uma dieta hiperprotéica (4g.kg-1.d-1), aliada ao treinamento, provoca maior aumento da massa muscular e força quando comparado com o padrão dietético normoprotéico. Para esse estudo dezesseis voluntários foram divididos em dois grupos segundo a suplementação: com proteína (HP), perfazendo 4g.kg-1.d-1, e com carboidrato (NP), na quantidade calórica da suplementação protéica (225g.d-1). Os dois grupos foram submetidos ao treinamento com pesos para os músculos bíceps e tríceps, três vezes por semana durante oito semanas. Foram analisados a força, massa muscular, área de secção transversa muscular, cortisol e insulina.

Os resultados mostram que o grupo HP apresentou maior consumo de proteína e o grupo NP, de carboidrato. Os grupos também apresentaram diferença nos valores de cortisol. O grupo NP apresentou correlação positiva entre o maior aumento na ingestão de carboidrato (%) e o aumento da área de secção transversa do músculo, e também entre a força para o exercício tríceps francês (TFR2) e o aumento da massa muscular e a maior ingestão de carboidrato.

Podemos concluir que o grupo NP apresentou correlação positiva entre a ingestão de carboidrato e o aumento da área muscular e força para o exercício tríceps francês. Segundo os resultados apresentados, os indivíduos suplementados com carboidrato (225g.d-1) associado à ingestão protéica de 1,8g.kg-1.d-1, quando submetidos ao treinamento com peso, apresentaram maior aumento da massa muscular quando comparados com os indivíduos submetidos ao mesmo treinamento suplementados com 4g.kg-1.d-1. Serão necessários mais estudos para elucidar o papel da proteína e do carboidrato na promoção da síntese protéica em praticantes de exercício com peso. Não se sabe ao certo o mecanismo que envolve a elevada suplementação com proteína no processo de ganho muscular e força.

Esse é um resumo do artigo “Correlação entre a suplementação de proteína e carboidrato e variáveis antropométricas e de força em indivíduos submetidos a um programa de treinamento com pesos”, publicado na Revista Brasileira de Medicina do Esporte _ Vol. 12, Nº 1 – Jan/Fev, 2006 – escrito por Patrícia Veiga de Oliveira, Luciana Baptista, Fernando Moreira e Antônio Herbert Lancha Junior.

Anúncios

Sobre Prof. Carlos

Profissional registrado no Conselho Federal de Educação Física (CONFEF) e no Conselho Regional de Educação Física (CREF). Graduado em Licenciatura Plena em Educação Física pela Universidade do Oeste Paulista – UNOESTE, pós graduado em Treinamento Desportivo pela Escola Superior de Pesquisa e Pós-Graduação-PR, possui curso de capacitação em treinamento personalizado, farmacologia e exercício, fisiologia do exercício e treinamento na saúde, na doença e no envelhecimento. Participa do Grupo de Estudo e Pesquisa em Programa de Exercícios Físicos no Envelhecimento (GEPPEFE).
Esse post foi publicado em Nutrição e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s